Em Palmas, 64% das pessoas que pedem nome emprestado não pagam dívida

  • 23 de julho de 2019 - 08:21



A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Palmas, realizou uma pesquisa no mês de junho com consumidores que procuraram a entidade para verificar a situação de seus documentos junto aos órgãos de proteção ao crédito. 

 

Entre os dados coletados, os que mais chamam atenção estão relacionados ao empréstimo de nome, ou seja, aquela situação em que alguém permite que terceiros façam dívidas utilizando seu documento, tendo em vista que atualmente, conforme a base do SPC Brasil, existem 47.164  CPF’s negativados na Capital, que representam R$105.436.461,96 que deixaram de circular na economia da nossa cidade. 

 

De acordo com o levantamento, 39,2% dos consumidores já emprestaram seus documentos e 64,2% das pessoas que utilizaram o nome de outro emprestado para compras a prazo não arcaram com a dívida. Dos consumidores palmenses que vieram até a CDL e constataram que estavam inadimplentes, 24,4% afirmam que não foram eles próprios que fizeram a dívida, mas que foram negativados por emprestarem seus documentos.  

 

O presidente da CDL Palmas, Silvan Portilho, orienta que os consumidores pensem muito bem antes de emprestar seus nomes para amigos e conhecidos. “Sabemos que muitos veem essa atitude como solidária, mas é preciso ter em mente que isso pode causar prejuízos financeiros para quem de fato arca com a dívida. Aquele que empresta acaba se tornando responsável por uma dívida que não é dele, mas que se não for paga acarreta em problemas sérios como inadimplência e restrição ao crédito”, explica.